jusbrasil.com.br
24 de Outubro de 2019
    Adicione tópicos

    FMI rebaixa previsão de crescimento da China

    O Fundo Monetário Internacional (FMI) rebaixou nesta quarta-feira (29) suas previsões de crescimento para a China, neste e no próximo ano, para 7,75%, contra 8% que até então era previsto, e defendeu um maior controle do crescimento do crédito. Em entrevista em Pequim, o subdiretor-geral do FMI, David Lipton, atribuiu o corte nas previsões às condições econômicas globais, que mantêm frágil a demanda das exportações chinesas.

    Lipton indicou que o rápido crescimento do financiamento social, um indicador do crédito disponível, cresceu muito rapidamente, o que traz preocupações em torno da qualidade dos investimentos e seu impacto na capacidade de devolução dos empréstimos.

    Neste sentido, Lipton indicou que um dos riscos é que os créditos sejam destinados a investimentos que não sejam suficientemente úteis para o país.

    Ao término da missão do FMI, encarregada de revisar anualmente o desenvolvimento econômico do país, o subdiretor-geral do órgão recomendou uma agenda exaustiva de reformas que permita um crescimento mais equilibrado, inclusivo e propício ao meio ambiente.

    Embora a China conte com uma capacidade política e financeira suficiente para manter sua estabilidade em caso de problemas, as margens de segurança se estreitam, declarou Lipton.

    Entre as recomendações do fundo se encontra a implantação de um sistema firme de governabilidade nas instituições estatais ou relacionadas com o sistema público de nível mais local, entre elas bancos, empresas públicas e governos locais.

    O FMI, que no último mês tinha previsto um crescimento de 8% para este ano e de 8,25% para 2014 na China, calcula que a inflação no país asiático neste ano alcançará 3%, enquanto o superávit por conta corrente será mantido em torno de 2,5% do PIB.

    Fonte: G1

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)